Recordando 2009 - Melhores Albuns Nacionais - final

899

Views

Encerrando com chave de ouro a nossa retrospectiva, hoje serão comentados mais cinco trabalhos lançados por bandas nacionais, desta vez de bandas que cantam em inglês, e que com muita personalidade estão conseguindo cravar seu nome no cenário brasileiro e internacional!

 


Confiram resenhas dos seguintes trabalhos: Deventter com Lead On, André Matos com Mentalize, Ravenland com And A Crow Brings Me Back, Hangar com Infallible e Shadowside com Dare To Dream.

 


Confiram:




 

 




MentalizeAndre Matos – Mentalize

 


Azul Music – Nac

 

 

 


Consolidando-se cada vez mais como artista solo, o êx vocalista das bandas Angra, Viper e Shaman vem com seu segundo trabalho, após o consagrado Time To Be Free, e com este trabalho o vocalista tem tudo para cravar de vez o seu nome na cena!

 


Digo isso pois, apesar de manter a mesma linha do seu  ótimo debut, Mentalize soa mais “seguro” e definido, e com um ar mais tradicional que melódico,  talvez por não ter mais nada a mostrar, o moço se preocupou apenas em fazer boas canções como I Will Return, The Myriad, Violence, Shift the Night Away(esta um novo clássico) e  Don’t Despair(esta era uma música que o vocalista tinha desde os seus tempos no Angra, mas que nunca havia sido lançada), além da arte da capa, que cujo espiral representa uma espécie de labirinto que representa a eterna busca do conhecimento!

 


E o “plus” deste grande passo a sua consagração se deve ao time de músicos que o acompanha, o baterista Eloy Casagrande,  o baixista Luis Mariutti, o tecladista Fábio Ribeiro e is guitarristas Hugo Mariutti e Andre “Zaza” Hernandes, que usam e abusam das harmonias e nos fazem viajar com suas twin guitars, me arrisco a dizer que hoje eles são a melhor dupla do Brasil em seus instrumentos!

 


E com mais um excelente ítem em sua discografia, que para mim só não bate Reason (Shaaman) e Holy Land (Angra), ficamos no aguardo de uma tour que arrebata o Brasil e exterior!

 


www.myspace.com/andrematossolo

 


Lead OnDeventter – Lead On

 


Independente – Nac

 


 

 


Essa banda causou um furor com o lançamento do seu debut The 7Th Dimension por trazer um som diferenciado na cena Prog Metal em geral, pois apesar das passagens intrincadas, apresentava uma cara mais “rock” aliadas a vocais mais melancólicos e suaves além de  muita competência musical, que rendeu resenhas positivas em diversas publicações e a abertura para o Dream Theater há alguns anos atrás.

 


E com o lançamento do seu segundo trabalho Lead On as expectativas não apenas se confirmam como podemos afirmar que a banda tem tudo para ser um dos maiores nomes do estilo no Brasil, pois não apenas mantiveram as características do trabalho anterior, deram mais peso aonde era necessário e deixaram as passagens mais melancólicas com um ar mais pop que deixou o trabalho maravilhoso, além da preocupação nos mínimos detalhes com a gravação, que está fabulosa, cheia e cristalina, a arte da capa, encarte, enfim, tudo nos mínimos detalhes.

 


Não tem como não citar o vocalista Felipe Schäffer, que em Lead On deu uma aula de interpretação, soando primoroso, e com um acento mainstream que cairá no gosto da galera que não é tão fã de metal, mas sim fãs de bandas  como Muse, Radiohead, Keane, entre outras, ouça All Rights Removed que você vai me entender!

 


Só que não apenas de músicas lentas e introspectivas vive o trabalho, pois os caras sabem fazer músicas pesadas como Bunkers And Bankers, 6000e Lead Off com a mesma competência!

 


Procure conhecer o som dos caras, tenho certeza que não se arrependerá!

 


www.deventter.com

 


www.myspace.com/deventter

 


And A CrowRavenland – And A Crow Brings Me Back

 


Free Mind – Nac

 


 

 


E pensar que a banda quase encerrou as atividades…

 


… Mas felizmente o vocalista Dewindson Wolfheart conseguiu recrutar novos integrantes e juntos fizeram um álbum que soa primoroso do início ao fim!

 


A preocupação em fazer um álbum certeiro é percebida desde a capa, gravação, encarte, e as músicas que compõe o trabalho soam com um brilho próprio, prontas para cativar e “ganhar” o ouvinte!

 


Apesar da banda fazer um som voltado para o Gothic Metal/Rock, os caras passeiam por muitos estilos, mesclando contornos pop, passagens mais pesadas,  e guitarras Hard/Heavy que agradará em cheio os fãs de boa música, independente do estilo que elas curtam!

 


Parte da qualidade do trabalho se deve ao sincronismo dos vocais graves de Dewindson e Camilla Raven (também responsável pelos violinos), que não soam forçados e se conectam de forma perfeita as canções, gerando grandes performances da dupla, como na quase pop Velvet Dreams(onde logo você canta junto com eles), The End Of Light(que possui um clip muito legal rolando na MTV), Regret, Soulmoon, só que embora seja clichê dizer isso, este álbum merece ser ouvido na íntegra, de perferência numa grande sala para que os detalhes de suas músicas sejam absorvidos pelos quatro cantos!!!

 


A “cereja do bolo” são as participações especiais de Tommy Lindal (êx Theatre of Tragedy) e Ricardo Confessori(Angra/Shaman) que além de produzir o trabalho, gravou as linhas de bateria, além da masterização ter sido feita pelo renomado Waldemar Sorychita (Lacuna Coil/Grip Inc) que com toda a certeza deixaram o trabalho mais “atraente”!

 


Ao lado de bandas como Sunseth Midnight e Libra eles são um dos melhores nomes da cena Gothic nacional, aliás, uma tour com essas bandas seria algo muito legal de se ver!!!

 


www.ravenland.net

 


www.myspace.com/ravenland

 

 

 


InfallibleHangar – Infallible

 


Dynamo – Nac

 


 

 


Uma notícia que pegou muita gente de surpresa foi a saída do vocalista Nando Fernandes da banda no início de 2009, justamente quando a banda passava pelo seu melhor momento na carreira, graças ao excelente disco lançado no ano anterior (The Reason of Your Conviction) e os shows arrebatadores que fizeram nesta tour!

 


E após testar alguns vocalistas cobnhecidos como Leandro Caçoilo (Sancti) e Ricardo Bocci (Viper), a banda optou pelo não menos talentoso Humberto Sobrinho (Glory Opera), e juntos fizeram um trabalho que não só mantém a banda no mesmo patamar deixado no disco anterior, mas que pode levá-la a lugares mais altos!

 


Musicalmente a banda mantém seu estilo característico, só que abrindo o leque para novas possibilidades como contornos mais melódicos, baladas e algumas ousadias!

 


E essas novidades deixaram o trabalho mais marcante, pois nada soa forçado e somado a grande performance dos músicos, principalmente o novo vocalista, que mostra uma linha mais voltada ao melódico/progressivo, onde temos momentos brilhantes como em The Infallible Emperor (1956) ,  Dreaming On Black Waves (que conta com a participação da vocalista Stefanie Schirmbeck da banda Holiness), Time To Forget, Based In A True History(essas duas últimas belas baladas que contam com uma interpretação sublime de Sobrinho) e o final surpreendente com a regravação de Mais Uma Vez (14 Bis) que já era executada nas apresentações acústicas da banda, e amigos, deixem o radicalismo de lado, pois a versão ficou espetacular.

 


Enfim, o disco é excelete, o novo vocalista está mais que aprovado e fiquemos no aguardo dos shows que a banda fará ao lado do eterno êx vocalista do Iron Maiden, Paul Di’ Anno que rodará por várias cidades brasileiras!

 


www.hangar.mus.br

 


Dare To DreamShadowside – Dare To Dream

 


Radar – Nac

 


 

 


Mesclando influências do Hard/Heavy/Thrash, o quarteto mostra que não é necessário formulas mirabolantes para se fazer um excelente trabalho e sim espontaneidade e músicas certeiras!

 


Essa é a receita que funcionou muito, mas muito bem neste disco que cheguei a ouvir seguidamente diversas vezes, pois dá gosto de ouvir a atuação dos músicos, como o  guitarrista Raphael Mattos, pois o músico  tem a essência do Hard Rock em seus riffs, fazendo algo “grudento”, como nos anos 80 mesclados a pegada atual, a cozinha de Fábio Buitividas e Edu Simões que transmite a segurança necessária,  e a vocalista Dani Nolden mostra uma enorme evolução em relação ao trabalho anterior, e sabem o que é  melhor, nada aqui é forçado, basta ouvir as faixas In The Night, Dare To Dream  e Memories e se imagine com sua “Air Guitar”, mas há outras características que fazer deste álbum obrigatório, como a abertura de Nation Hollow Mind, que dá para imaginar o Paul Gilbert fazendo parte do Pantera, o carro chefe Hideaway(novo clássico da banda), Baby In the Dark (um show da vocalista Dani Nolden) e a balada introspectiva Time To Say Goodbye!

 


É até difícil falar de um disco que não possui deslizes, pois tudo aqui é bem feito, produção, atuação dos músicos, arte de capa, encarte…bom só vale dizer que este trabalho foi um dos mais vendidos do Brasil e conquistou o exterior, para se ter uma idéia, a banda já é o segundo maior nome do metal nacional nos Estados Unidos, o que convenhamos, não é para qualquer um!

 


Antes de você comprar CD’s de bandas estrangeiras, procure ouvir as nacionais e se por acaso quiser uma sugestão, procure conhecer a Shadowside, que com certeza você vai curtir!

 


www.shadowside.ws

 


www.myspace.com/shadowsideband

 


Não percam na próxima semana uma entrevista feita com o duo cristão de metal extremo Dead Snake, que curiosamente figurou na retrospectiva na categoria Revelações Nacionais!

Sobre o autor: Joao Messias Jr.

João Messias Jr., ouve rock há mais de 20 anos e neste período criou os fanzines Clepsidra, Da Pacem Domine e New Horizons, este último existe hoje apenas na internet. Além do New Horizons, possui publicações veiculadas em portais como Undersound, Rock Post, Die Fight e Roadie Crew.


+ informações
email: joaomessias@teleobjetiva.com.br
Sobre a TeleObjetiva

A TeleObjetiva estúdio de comunicação Ltda é uma produtora de TV, Vídeo e Fotografia, com sede em São Paulo-SP. Oferece ao mercado soluções em transmissão ao vivo, programas e comerciais em vídeo para TV e Internet e o desenvolvimento de WebRádios, WebTVs e TVs Corporativas.

Newsletter